A Importância de se Contar Histórias

A contação de histórias é considerada uma importante ferramenta para o desenvolvimento da criança em vários aspectos.

IMPORÂNCIA EMOCIONAL

No aspecto emocional, a contação de histórias pode ajudar as crianças a expressar e lidar com suas emoções, como medo, tristeza ou raiva, de forma saudável. Segundo Bruno Bettelheim, em seu livro “O uso dos contos de fadas”, as histórias permitem que a criança encontre soluções para problemas e situações que ela não sabe lidar no mundo real.

IMPORTÂNCIA SOCIAL

No aspecto social, a contação de histórias pode ajudar as crianças a desenvolver habilidades de comunicação e trabalho em equipe, bem como a compreender as perspectivas e os sentimentos dos outros. Segundo o autor e contador de histórias, Daniel Pennac, em seu livro “Como um romance”, a contação de histórias é um instrumento de formação da cidadania, pois estimula a empatia e a solidariedade.

IMPORÂNCIA CULTURAL

No aspecto cultural e educacional, a contação de histórias pode ajudar as crianças a compreender e apreciar a diversidade cultural, bem como a desenvolver habilidades de escrita e leitura. Segundo o autor e educador Paulo Freire, em seu livro “Pedagogia da Esperança”, a contação de histórias é uma forma de educação popular, pois permite que as crianças sejam protagonistas de sua própria história.

IMPORTÂNCIA MORAL

No aspecto moral, a contação de histórias pode ajudar as crianças a desenvolver sua consciência moral e a compreender questões éticas e valores. Segundo o autor e psicólogo Erik Erikson, em seu livro “Os estágios do desenvolvimento humano”, as histórias permitem que a criança se identifique com personagens e situações, o que ajuda na construção de sua personalidade e na formação de sua ética. A contação de histórias é considerada uma importante ferramenta para o desenvolvimento da criança, especialmente no aspecto anímico e cognitivo. No aspecto anímico, a contação de histórias pode ajudar as crianças a expressar e lidar com suas emoções, como medo, tristeza ou raiva, de forma saudável. Segundo Bruno Bettelheim, em seu livro “O uso dos contos de fadas”, as histórias permitem que a criança encontre soluções para problemas e situações que ela não sabe lidar no mundo real. Ele afirma que “os contos de fadas são a psicanálise das crianças”.

IMPORÂNCIA COGNITIVA

No aspecto cognitivo, a contação de histórias pode ajudar as crianças a desenvolver suas habilidades de pensamento crítico e criativo, bem como sua capacidade de se concentrar e prestar atenção. Segundo a pesquisadora Vivian Gussin Paley, em seu livro “Contar histórias para crianças”, a contação de histórias ajuda a criança a desenvolver a capacidade de imaginar e criar, o que é essencial para o aprendizado e o desenvolvimento cognitivo. Ela afirma que “Contar histórias é uma maneira de ensinar as crianças a pensar”. Além disso, a contação de histórias pode ajudar a criança a desenvolver a capacidade de compreensão de texto e de interpretação de histórias, bem como aumentar seu vocabulário e seu conhecimento sobre o mundo.