Terceira Infância

mãos para cima

A terceira infância, segundo Piaget, é marcada pela fase da alfabetização escolar e a fase do encantamento.

Na terceira infância, que compreende a fase dos 6 aos 9 anos aproximadamente, em que a criança se encontra na fase da alfabetização, as emoções começam a fazer parte do interesse. Os contos em que as crianças experimentam sensações de medo, angústia, encantamento, excitação, são solicitados por elas. Heróis, princesas, soldados, mágicos, são personagens recorrentes. Elas se encontram no mundo do sentimento, mas também no mundo do “encantamento”. Histórias de monstros, bruxas, caveiras, ou de lutas e guerras trazem alteração em seu estado de ânimo. Mexem com a respiração e provoca alteração nos batimentos cardíacos. Auxiliam na maturação e no controle das emoções. Surge o laço além do núcleo familiar, como a figura do amigo(a) e o exercício da vontade de gostar, querer e ter de forma mais social. A individualidade aflora.

As histórias podem ser mais longas e com um maior número de personagens. A estrutura pode também ser mais complexa, mas ainda apoiada na imagem e não nas ideias, nem opiniões e preferências narrador, mas sim do ator contador de história. As palavras conotativas e as rimas são bem aceitas, assim como “jargões” e “trejeitos” de personagens agradam pela repetição e estranheza que causam. A narrativa passa a ser mais “corporal”, com auxílio de ferramentas que ambientem a história, tais como: instrumentos musicais, pequenos cenários, objetos e móveis reais, de preferência que causem sensação de atemporalidade.

Fase da Empatia

A partir dos nove anos, adentrando na pré-adolescência, a criança começa a desenvolver “empatias” (simpatia e antipatia) com situações, pessoas e atividades. Ela começa a escolher suas amizades e grupos sociais, distanciando-se cada vez mais das figuras paternas.

As histórias que remetam a busca da individualidade e ao encontro de um grupo sociocultural chamam a atenção.

A Puberdade

Já no período que entram na puberdade, até os 16 anos aproximadamente, fazem sucesso livros e histórias com o mesmo perfil de “O Senhor dos Anéis”, “Harry Potter“, “Crepúsculo”, pois irão de encontro do sentimento de liberdade e aventura, apresentando a possibilidade de realizarem suas próprias escolhas, buscando aceitação e reconhecimento do que são e representam num grupo social e familiar. É nessa fase que optam por livre escolha uma atividade de expressão,como música, teatro, dança, esporte, tecnologia. Por isso as sagas e novelas adolescentes atraem grupos específicos de acordo com a temática abordada. Já não unanimidade de estilos, nem musicais, literários, vestuário, mas “galeras” que compartilham de um mesmo mundo sócio comportamental.