Histórias para Dormir e Ninar

Histórias para dormir? Como contar uma história para crianças na hora de ir para a cama? Ninar uma criança, nos braços, no balanço, deitadinha na cama, no berço, ou na rede, e contar um história, auxilia a chegada do sono, proporcionando um momento tranquilo, calmo, seguro e amoroso na hora de descansar, principalmente a noite, na hora de dormir.

  • Quem nunca dormiu ouvindo histórias não sabe o quanto isso é bom.

O sonho de todos os pais é que seu filho pegue no sono rapidinho na hora de dormir, sem manhas, e que fique dormindo até o amanhecer, com uma noite perfeita de sono para toda a família. Mas no mundo real, isso raramente acontece, principalmente na tenra infância.

Existem muitos fatores a se considerar para que possamos ninar nosso filho com tranquilidade e que funcione do jeito que sonhamos. Primeiramente, são os pais que devem se preparar: deixar todas as suas tarefas pessoais, familiares e profissionais prontas, ou encaminhadas (ou não se preocupar com elas); cumprir o ritual (rotina) da criança de forma religiosa (disciplinada) todos os dias - banho, alimentação, roupas, bricadeiras; resolver conflitos pessoais e familiares antes do anoitecer, ou distante da criança; se acalmar, diminuir o ritmo, aquietar os pensamentos; se harmonizar antecipadamente, de acordo com suas crenças. Só assim, o pai, a mãe, ou a pessoa que irá contar histórias de ninar para a criança dormir estará pronta para começar. E isso é uma luta diária.

Os Sentidos

Diferentemente de uma contação de histórias para eventos, festas, comemorações e atividades sociais, nas histórias para ninar, os sentidos devem ser aquietados. A interpretação corporal, na maioria das vezes, deve dar lugar as expressões faciais aos fantoches, dar lugar as mãos (isso não significa que não se possa usar fantoche). O toque demorado sobre a cabeça (face, nariz, testa, orelhas, ombros), com suave acarinhamento, e a voz monocórdica, cadenciada, repetitiva, serão mais importantes do que o colorido, bonecos, objetos, empostação vocal. Tudo tem que convergir para a retirada do estímulo e da ação. Também forçar a criança a ficar numa mesma posição, só estimula ao contrário, a resistência. Encontrar uma maneira lúdica e calma para a criança ser induzida a ficar deitada é mais eficiente.

Fechar os olhos, quando somos crianças, é abandonar o mundo que desejamos entender, para mergulhar num mundo de vibrações, cores e sons... Fazer a transição entre um mundo e outro é o papel das histórias de ninar.

- JR Santos -

Recontar a mesma história em noites diferentes, principalmente para as crianças pequenas, entre 01 e 04 anos, é uma forma de mostrar que chegou a hora de dormir pelo costume de se ouvir as mesmas palavras, narradas da mesma forma, no mesmo lugar, na mesma hora. Isso é o que chamamos de 'ritual'...

Podemos recontar, ou contar histórias novas, revisitando as mesmas num perído em que as crianças já se esqueceram dos detalhes. Para que uma história nova tenha o sentido do 'ritual', uma mesma introdução, uma mesma música, verso ou cantiga, ajuda a estabelecer o momento de se aquietar para ouvir a história de dormir. A repetição dessa introdução, com o tempo, já causa a sensação de descanso na criança. Algumas, prevendo o momento, mesmo com sono, resistem a deitar, porque sabem que vão dormir. Estimular que elas cantem a música enquanto trocam a roupa de deitar, acalma. Mas os pais podem inventar seus próprios 'gatilhos'.

Já estabelecido o hábito de se dormir com histórias, algumas crianças podem 'pedir' um conto especial, que já ouviram numa das noites, ou que escutaram na escola. Combinar em que situações e momentos vamos contar a história pedida, ou mesmo trocar de história para atender o pedido da criança, é uma escolha saudável dos adultos em relação as crianças. Isso mostra que elas não só estão aceitanto, curtindo e merghulhando na proposta, mas que estão interagindo. Virou hábito.

Na hora de dormir, no momento da história, depois que já temos essa rotina estabelecida, podemos incluir temas nas histórias como: bondade, partilha, honestidade, força, determinação, paciência, compreensão. Certamente daremos uma energia anímica para a criança que se sustentará para toda a vida.

Antes de contratar

Quanto menor as crianças, podemos contar histórias de ninar com rimas, cantigas, parlendas. Momentos repetitivos e até messo repetir a histórias alternadamente, a cada noite. Para as crianças maiores, quanto menor o estímulo dos sentidos, melhor, usaremos a narrativa monocórdica, concentrando a atençao nas mãos e rosto, com toques eventuais nos rosto ombros e cabeça.

O quarto

Penumbra, poucos estímulos coloridos e de brilho. Nem muito frio, nem quente. Combinar com todos da família para diminuírem os barulhos (televisão, jogos, celulares, conversas, etc.).

A Criança

Confirmar se já se resolveram todas as atividades e deveres, tais como: escovar os dentes, banho, lição de casa, alimentação, fralda, etc..

Quem vai contar a história de dormir deve também se preparar, como se fosse para um ritual, cuidando da sua mente, emoções e pensamentos. Assim, irá se dedicar com atenção plena na história e na criança".

JR Santos

"Nossa, as dicas que me deu no curso de contação de histórias foram muito legais para usar com meus alunos, e pasme, deu certo com meus filhos. E olha que eles tem 4 e 7 anos e não param um minuto!"

- Joelma dos Santos Oliveira -